Artigo

O que as empresas buscam nos jovens candidatos?

Os processos seletivos das empresas vem evoluindo em ondas

 Sofia Esteves, presidente do Conselho da Cia de Talentos, compartilhou generosamente seus conhecimentos em um talk para o canal da Revista Exame publicado em maio.
Os principais pontos foram sobre o tema:
1) Nos anos 80 as empresas buscavam formandos de faculdades de primeira linha e com idiomas fluentes. A lógica era que pessoas bem formadas eram inteligentes e se assim seriam bons profissionais. Ainda que fosse falho o critério, era o pensamento da época.
2) Na onda seguinte, no final dos anos 90, o foco foi para o comportamento e as competências das pessoas: por exemplo trabalhar em equipe e capacidade de análise.
3) Na terceira onda, de 2015 para cá, para o mercado valoriza a aderência das pessoas aos valores e cultura das organizações. Isso implica em que nossos jovens são cobrados não só sobre sua formação e competências, mas também pelo autoconhecimento - por ter clareza dos seus sonhos dos seus valores, de suas fortalezas e fraquezas de fato.
E sobre as competências mais procuradas hoje, Sofia destaca duas: FLEXIBILIDADE para se adaptar as mudanças e a rapidez de sair da zona de conforto; e a RESILIÊNCIA para lidar com a frustração já que a todo momento as prioridades mudam.